Sesc Digital estreia exibição grátis de último lote de 6 filmes da Mostra de SP



Um drama sobre envelhecimento, os impasses da sociedade turca e um documentário sobre o empoderamento de uma garota integram a seleção.


Confira a programação. Clique nos títulos para assistir.

Os filmes têm limite de 800 visualizações.



ESTRADA PARA O ÉDEN

Diretores: Bakyt Mukul e Dastan Zhapar Uulu

(Quirguistão, 121 min)

Um escritor aposentado vive seus últimos dias de fama e pobreza em uma sociedade que se preocupa cada vez mais com riqueza. Viúvo e sem filhos, seu único desejo é que a literatura continue a iluminar seu pequeno e desiludido país.



FANTASMAS

Diretora: Azra Deniz Okyay

(Catar/França/Turquia, 90 min)

Em Istambul, às vésperas de um apagão elétrico, as histórias de quatro personagens se entrecruzam.




O JOVEM CAÇADOR DE BALEIAS

Diretor: Philipp Yuryev

(Alemanha/Finliandia, 92 min)

Leshka vive em uma pequena vila no estreito de Bering e trabalha como caçador de baleias. Quando a internet chega lá, Leshka apaixona-se por uma camgirl e faz tudo para conseguir encontrá-la no mundo real.



O OUTRO LADO DO RIO

Diretora: Antonia Kilian

(Bélgica/Polônia/Rússia, 93 min)

Hala é uma garota de 19 anos que foge para evitar um casamento forçado. Ela encontra abrigo em uma academia militar para mulheres. Após a retomada de sua cidade, Hala retorna para libertar as irmãs das mãos de seu pai.



POR UM PUNHADO DE FRITAS

Diretores: Jean Libon e Yves Hinant

(Bélgica/França, 100 min)

Kalima Sissou, prostituta ocasional, é assassinada e todas as evidências apontam para Alain, seu ex-namorado. Uma porção batatas fritas, uma Tupperware e uma imagem de Santa Rita serão usados para incriminar Alain.



SAL EM NOSSAS ÁGUAS

Diretor: Rezwan Shahriar Sumit

(Bangladesh/França, 100 min)

Um artista viaja até uma ilha isolada no delta do Ganges para realizar sua mais recente instalação. As ideias modernas e as esculturas realistas do artista encantam os jovens, mas, quando a pesca na região começa a se mostrar infrutífera, os anciãos passam a culpá-lo pelas redes vazias.