O que é Ferragosto?


MARIO VISCONTI


O título original do filme ALMOÇO EM AGOSTO é PRANZO DI FERRAGOSTO. Se o traduzirmos literalmente seria algo como ALMOÇO DE FERRAGOSTO. Mas o que é Ferragosto?


Ferragosto é o feriado mais importante na Itália depois do Natal, é uma festa nacional. Data que cai no meio de agosto, mês mais maluco (e gostoso!) da península. Um mês tórrido, em que todo mundo (ou quase) tira férias e viaja, na maioria das vezes dirigindo-se para as cidades à beira-mar a fim de aproveitar as belezas dos cinco mares que banham o bel paese.


No filme, Gianni, o protagonista, caminha numa Roma semideserta, algo incomum, e sofre com o calor escaldante da cidade. Se todo mundo já está de férias, por que então este feriado é tão especial?


Ferragosto tem para os italianos uma carga simbólica muito específica. Cai no meio do mês, então pode ser o fim das férias para quem pegou as duas primeiras semanas de agosto para descansar; ou o início, para quem decidiu sair nas duas últimas; ou ainda o meio das férias, para aqueles que se concederam as duas semanas do meio do mês para descansar.


É aquele dia em que ninguém trabalha. Difícil encontrar até farmácia de plantão. É a ocasião para passar um tempo com a família, com aqueles amigos do peito e mais próximos, com quem amamos, acompanhados de boa comida. E nada melhor do que um almoço para isso, em geral ao ar livre.


O menu varia muito de lugar para lugar, mas ultimamente parece que a grigliata (carnes na grelha) reine sozinha nesses encontros. A data, celebrada exclusivamente na Itália, nasceu durante o império romano, mais precisamente em 18 a.C., quando o imperador Otaviano, proclamado augusto pelo senado, decretou que o mês de agosto seria o mês do descanso e das festividades por causa do fim dos trabalhos nos campos. Inicialmente, o divertimento eram as corridas de cavalos e animais eram decorados com flores e outros objetos.


A festa, celebrada inicialmente em primeiro de agosto, foi mudada para o dia 15 pela igreja católica, fazendo-a coincidir com o dia da Ascensão da Virgem. De pagã, tornou-se festa religiosa. Durante o regime fascista, nos anos 1920, foram criados os trens populares que ofereciam viagens sem custo que valiam do dia 13 a 15 de agosto e que tinham duas modalidades: de um dia (distancias de 50 a 100 km) e de 3 dias (distâncias de 200 km no máximo). Como as viagens não ofereciam o que comer, as famílias levavam de casa o necessário para o almoço de Ferragosto.


Nos dias de hoje, o divertimento é diferente. Para os desavisados que decidem se esticar na areia para se bronzear, que não se surpreendam caso recebam uma baldada d’água: trata-se do gavettone, “brincadeira” que consiste em encher uma bexiga de água ou, mais usualmente, um balde comum, daqueles que se leva à praia, jogar sobre um desavisado e sair em disparada, claro. A brincadeira faz do Ferragosto o feriado mais divertido para alguns e mais “molhado” para outros.

 

MARIO VISCONTI é pesquisador e professor de língua e cultura italiana.